VOLTAR

Cacique Raoni dá ultimato à Funai

Jornal do Commercio (Rio de Janeiro-RJ)
Autor: Teresa Guimarães
08 de ago de 1995

O grupo de 40 Kayapó que está acampado em volta da casa de hospedagem da empresa goiana Ensa, nas margens do rio Xingu, deu um ultimato à Funai. Liderados por Raoni, eles reivindicam a presença imediata de Dinarte Nobre de Madeiro, presidente da Funai, acompanhado pelo Ibama e Polícia Federal. Caso contrário eles prometeram incendiar a casa da empresa. Os Kayapó acusam os hóspedes levados pela empresa de invadir a terra indígena para pescar e caçar.
Dinarte Madeiro enviou Megaron, representante da Funai e sobrinho de Raoni, para negociar a desocupação. Segundo Megaron, há três anos os Kayapó reivindicam à Funai a presença do Ibama e da Polícia Federal para evitar a ação dos visitantes da Ensa na região.
O cacique Raoni exige também a ampliação da terra indígena em cerca de 10 a 15 quilômetros da margem direita do Xingu. Segundo ele a região tem grande valor cultural, pois lá estão enterrados os corpos de seus antepassados.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.