VOLTAR

Cacique Anibal, do povo Potiguara (PB), sofre atentado

Cimi - http://www.cimi.org.br/?system=news&action=read&id=3744&eid=257
25 de mar de 2009

Por volta das 19:30h do domingo (22/03/09) dois homens ancapuzados derrubaram a porta da residência do cacique Aníbal da aldeia Jaraguá, do povo Potiguara, no município de Rio Tinto -PB. Invadiram a casa, dirigiram-se para os interruptores da cozinha e do quarto das três crianças para apagar duas lâmpadas. Sob a penumbra oferecida pala televisão ligada, dispararam vários tiros no cacique Aníbal que, alvejado,caiu no chão. Os filhos abraçaram o pai no chão ungido de sangue.Anibal foi imediatamente removido para um hospital de emergência em João Pessoa (cerca de 90 km do local do atentado).

O cacique foi atingido por duas balas: uma perfurou seu pulmão; outra ainda encontra-se alojada em seu maxilar. Deverá submeter-se a uma cirurgia.Graças a Deus não corre risco de vida. Aníbal já conversou com algumas lideranças e com sua esposa.

Na tarde do dia 23 lideranças do povo Potiguara se reuniram na Polícia Federal para solicitar proteção policial para Aníbal e tomarem as providências cabíveis.

Indignados pela demora na chegada da polícia federal e revoltados com a brutalidade do episódio, os Potiguara da aldeia de Jaraguá interditaram, por cerca de seis horas, a estrada que liga a cidade da Baia da Traição com a BR 101.

A Policia Federal foi no local apenas 24 horas depois do atentado. Depois que a movimentação na estrada se dispersou, uma pessoa sacou de um revólver de deflagrou vários disparos, promovendo pânico e correria. Policiais agiram prontamente desarmando e prendendo o homem.

O delegado federal prometeu que no dia seguinte, 24 de março, começaria o inquérito. Até aquele momento nenhuma perícia tinha sido realizada no local do crime.

O cacique Bel, da aldeia de Três Rios e a cacique Cau, da aldeia Monte Mor também estão sob ameaça de morte.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.