VOLTAR

Brasil protege menos a sua Amazônia que países vizinhos

Globo Amazônia
30 de mar de 2009

Brasil protege menos a sua Amazônia que países vizinhos
Proporcionalmente, país tem menos parques e reservas na região.
Em área absouta, contudo, Brasil protege território igual ao México.

Do Globo Amazônia, em São Paulo

O Brasil é um dos países que, proporcionalmente, tem menos parques e reservas na Amazônia. É o que revela um mapa montado pela Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada (Raisg), formada por diversas ONGs da América do Sul.
Segundo a rede, o país tem 39,6% de sua área amazônica protegida por reservas indígenas e unidades de conservação, porcentagem menor que os vizinhos Ecuador (79,7% de sua região amazônica protegida), Guiana Francesa (72,3%), Venezuela (71,5%), Colômbia (56%) e Bolívia (41,1% ). Apenas o Peru fica para trás, com 34,9% de seu território amazônico protegido. Não há informações sobre a Guiana e o Suriname.

Quando se considera a área absoluta sob proteção, contudo, o Brasil é o que tem maior espaço. São 1.984.570 quilômetros quadrados dentro de parques, reservas e terras indígenas. Para se ter uma idéia, a área corresponde ao México, ocupa 23% do território brasileiro e é maior que o tamanho total de qualquer outro país amazônico individualmente.

O mapa da Raisg será lançado oficialmente na próxima sexta-feira (3). Uma versão digital dele estará disponível no site da instituição. No Brasil, a rede é representada pelas ONGs Instituto Socioambiental (ISA), Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e Instituto Centro de Vida (ICV).

Desmatamentos, queimadas e notícias sobre toda a Amazônia Legal podem ser encontradas no mapa interativo Amazônia.vc, que também permite a internautas protestar contra a destruição da floresta. Saiba como utilizar o mapa .

Globo Amazônia, 30/03/2009

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.