VOLTAR

Bebê índio infectado é internado no Barros Barreto

Diário do Pará - http://www.diariodopara.com.br/noticiafullv2.php?idnot=81299
02 de mar de 2010

Uma criança índia de seis meses que contraiu a gripe Influenza A (H1N1) está internada no Hospital Barros Barreto mas, segundo o último boletim médico, seu estado de saúde é bom. Ela é da tribo Assurini, da aldeia Trocará, localizada no município de Tucuruí, e começou a apresentar sintomas da gripe no final do Carnaval.

Médicos da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) que atuam na aldeia, onde vivem 200 índios, perceberam que o caso poderia se agravar se o bebê não recebesse atendimento especializado em Belém.

Inicialmente transferida para a Santa Casa, a criança foi submetida a exames de secreção naso-faríngea, cujo resultado foi positivo para gripe A. Como a Santa Casa não é um hospital especializado no tratamento da doença, os médicos decidiram encaminhar o bebê para o Hospital Barros Barreto, onde passou a receber medicação adequada e monitoramento permanente. Os pais do bebê estão hospedados na Casa do Índio, em Icoaraci.

Segundo a Funasa, o vírus da gripe foi contraído na cidade de Tucuruí, para onde os índios assurini viajam praticamente todos os dias. A aldeia Trocará fica a apenas 18 km da cidade, o que facilita o contato com os "brancos". Os índios entram e saem da cidade a todo instante, utilizando bicicletas. A Funasa informou que deslocará uma equipe para a aldeia Trocará com a finalidade de fazer a coleta de material de todos os índios, incluindo adultos e crianças, para prevenir novos casos da doença.

VACINA

No próximo dia 15, de acordo com programação previamente estabelecida, os agentes da Funasa estarão vacinando toda a população da aldeia Trocará. O órgão mantém na aldeia um posto de saúde com médico e enfermeiros. Entre os dias 8 e 19 deste mês, cerca de 750 mil indígenas de todo o país e 9 mil profissionais que trabalham na área de atenção à saúde deverão ser imunizados durante a campanha de vacinação contra a Influenza A.

A principal estratégia nacional para o enfrentamento contra a gripe, juntamente com a rede de vigilância e assistência, é a vacinação de grupos prioritários, que será realizada em quatro fases, com a população indígena incluída na primeira fase. Na última quarta-feira, a Funasa também apresentou aos agentes de saúde o sistema de dados que vai ajudar a monitorar os casos de gripe entre os índios.

(Diário do Pará)

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.