VOLTAR

Bananal: à beira da destruição

Correio Braziliense (Brasília-DF)
Autor: Antônio Gomes
03 de fev de 1985

Reportagem a cerca da situação da Ilha do Bananal, formada pelo rio Araguaia, território tradicional dos Karajá. A Ilha passa por um intenso processo de destruição de seus ecossistemas. Em seu interior há cerca de 120 fazendeiros, que, com mais de 70 mil cabeças de gado, transformam as paisagens da Ilha em pastagens de gramíneas invasoras. Além disso, há a construção da Transaraguaia, cujo trajeto cortará o Bananal.
Para a antropóloga Mari Baiocchi, a única solução para preservação da Ilha é seu tombamento como patrimônio da humanidade e a criação de um centro científico no local com a finalidade de resguardar a integridade dos povos Karajá e Javaé.
A reportagem também traz informações sobre a carreira acadêmica da antropóloga.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.