VOLTAR

Autodeterminação também para os povos indígenas

Folha de S.Paulo (São Paulo - SP)
Autor: Paulo Suess
19 de abr de 1982

Neste artigo, Paulo Suess o secretário-executivo do Cimi defende o princípio de autodeterminação para os povos indígenas. Essa reivindicação por parte dos povos indígenas nasce a partir de sua situação de marginalização sócio-cultural e aponta para uma realidade colonialista no interior da nossa sociedade.
A interpretação de Tutela dos Povos Indígenas presente no Estatuto do Índio advém do Art. 73 da Carta das Nações Unidas. Segundo o sacerdote católico, a Tutela não é então uma outra perspectiva de colonialismo interno, mas sim uma forma de garantir que os indígenas consigam alcançar sua autodeterminação e cumprir suas aspirações políticas. Defende o reconhecimento de uma realidade multiétnica e plurinacional.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.