VOLTAR

Assassinos de índio guarani ficam impunes

Estado de Minas (Belo Horizonte-MG)
25 de nov de 1984

Mais de um ano depois da morte do líder Guarani Marçal de Souza, o principal suspeito, Rômulo Camarra, foi posto em liberdade após dois meses de prisão.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.