VOLTAR

Aquecimento pode ser pior que previsto

O Globo, Ciência e Vida, p. 35
23 de mai de 2006

Aquecimento pode ser pior que previsto

Os oceanos do planeta absorverão 21% menos gás carbônico do que o normal em razão do aumento da temperatura da Terra provocado pelas mudanças climáticas, segundo um estudo divulgado ontem por cientistas espanhóis. Ao absorverem menos C02, os mares contribuiriam ainda mais para o aquecimento do planeta - uma alteração ainda não prevista nos modelos.
O estudo, que será publicado na edição de hoje da "Proccedings of the National Academy of Sciences" (PNAS), conclui que a diferença entre o volume de carbono captado pelas plantas marinhas e o expelido pelos animais oceânicos se reduzirá drasticamente. Em função disso, os mares deixarão de absorver uma média anual de quatro bilhões de toneladas de C02.
Esse volume é equivalente a um quarto do total absorvido por ano pelas plantas marinhas e a um terço do total mundial de emissões de C02 em atividades industriais.
O coordenador do estudo, Angel López-Urrutia, do Centro Oceanográfico de Gijón, explicou que, em razão do aumento das temperaturas, a quantidade de oxigênio de que necessitam os organismos do mar passa a ser bem maior que a capacidade das plantas marinhas de absorver C02. Isso ocorre, segundo o cientista, porque o metabolismo dos animais é muito mais sensível às mudanças de temperatura do que o das plantas, baseado em fotossíntese.
Mares deixariam de captar 400 bi de toneladas de C02
Ao todo, entre os anos 2000 e 2100, calculam os especialistas, os oceanos deixarão de captar cerca de 400 bilhões de toneladas de C02, que permanecerão na atmosfera, contribuindo ainda mais para o aumento das temperaturas, gerando um ciclo vicioso.
Para chegar a tais conclusões, López-Urrutia e sua equipe - formada por Elena San Martín, Xabier Irigoyen e Roger Harris - basearam-se em dados do Atlantic Meridional Transect, uma expedição científica britânica que percorre anualmente o Oceano Atlântico coletando dados climáticos.
Analisando esses dados, os cientistas constataram que o aumento anual da temperatura coincidia com uma redução da quantidade de C02 absorvida pelas plantas marinhas.
Numa segunda etapa, com dados de outros estudos internacionais, criaram um modelo para estimar o que aconteceria até 2100 se a temperatura média da Terra aumentasse em 3,5 graus - um cenário considerado razoavelmente otimista entre os previstos no último informe do Painel Internacional de Mudanças Climáticas da ONU, responsável por esse tipo de medição.
O resultado obtido mostra que em menos de um século os oceanos da Terra estarão absorvendo 15,2 bilhões de toneladas de C02 ao ano, quatro bilhões a menos do que hoje.

O Globo, 23/05/2006, Ciência e Vida, p. 35

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.