VOLTAR

Após reunião, indígenas de três etnias desocupam sede da Seduc em Belém

G1 https://g1.globo.com
19 de jun de 2019

Após oito horas de protesto, cerca de 120 indígenas das etnias Gavião/Pakategê, Amawé e Tembé desocuparam a sede da Secretaria de Educação (Seduc), em Belém, nesta quarta-feira (19). O grupo saiu dos municípios de Santa Luzia, Capitão Poço, Bom Jesus do Tocantins, Marabá e Goianésia do Pará para reivindicar melhorias na educação indígena.

Segundo o grupo, a gratificação para quem tem graduação e especialização estaria sendo paga como nível médio e, com isso, não estaria ocorrendo contratação de servidores para as escolas indígenas. Eles reivindicaram a construção e ampliação de escolas indígenas; melhorias na gratificação de professores; contratação de mais funcionários para as escolas indígenas; e implantação do ensino médio.

O cacique Adair Tembé disse que que havia dificuldades de diálogo com o Governo. "Toda vez que tem reunião, a secretária sai e deixa só o assessor, a gente já tentou marcar reunião com o Ministério Público, e com ela, para a gente tentar organizar e ela contratar uma empresa para fazer reforma na escola. A gente tem escola com mais de dez anos de construção que nunca foi acabada", explicou.

Segundo manifestantes, há também falta de material e ausência de profissionais, como cozinheiro e zelador.
Os indígenas reuniram, por cerca de duas horas, com representante da Seduc. A secretária Leila Freire, responsável pela pasta, disse que "aquilo que era possível atender, foi colocado na mesa". "A continuidade em alguns contratos que estão vencendo nas escolas; alguma construção de novas escolas; o objetivo é criar um sistema de educação indígena", afirmou.

Para o cacique Kamiran Tembé a reunião terminou com avanço. "A partir de agosto, já deve iniciar a obra em algumas escolas de nossas aldeias, então para a gente foi muito satisfatório".

Em nota, a Seduc disse que solicitou que as lideranças indígenas apresentem todos os números de protocolos das solicitações feitas este ano. Sobre a construção de novas escolas, a Seduc afirmou que há uma lista de mais de 600 escolas estaduais precisando de reformas em todo o estado e que a construção de escola nova depende da disponibilidade orçamentária. A nota informou ainda que um levantamento será feito sobre todas as escolas que precisam ser construídas nas aldeias para elaborar um plano de obras específico.

https://g1.globo.com/pa/para/noticia/2019/06/19/apos-reuniao-indigenas-…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.