VOLTAR

Ao monitorar queimadas, Ibama encontra avião com cocaína que caiu em MT

Globo Amazônia - www.globoamazonia.com
Autor: Dennis Barbosa
17 de Ago de 2010

Fiscais do Ibama que monitoravam as queimadas em Mato Grosso com um helicóptero, encontraram os destroços de um avião monomotor Embraer 710 no alto de um morro na área da Estação Ecológica Serra das Araras, a 120 km de Cuiabá, com cerca de 30 kg de pasta base de cocaína.

A aeronave, que caiu em janeiro de 2007, foi encontrada no domingo (15). Na segunda-feira, a Polícia Federal foi ao local e recolheu a droga.

O documento do suposto piloto estava no local e foi recolhido. Para o delegado regional de Combate ao Crime Organizado, Eder Rosa de Magalhães, ele certamente morreu, devido ao estado de destruição do avião. O corpo, no entanto, não foi encontrado. De acordo com o policial federal, ele deve ter se decomposto devido às intempéries.

No dia em que se acidentou, o piloto havia informado um plano de voo de Tangará da Serra (MT) a Sinop (MT). No entanto, aparentemente, foi até a Bolívia para buscar a cocaína e acabou se chocando contra a serra por estar voando muito baixo para escapar do controle de tráfego aéreo. Ele tinha brevê havia apenas 20 dias, segundo a PF, quando se acidentou.

Pela quantidade de embalagens encontrada, havia cerca de 150 kg de droga no avião, informa Magalhães. Porém, com chuvas e presença de animais, restou apenas 20% disso. Assim que as autoridades aeronáuticas e a PF autorizarem, o Ibama vai retirar os destroços porque a fuselagem do avião poderia atrair raios e provocar um incêndio na vegetação seca. Essa região de Mato Grosso é uma área de transição entre os biomas cerrado, amazônico e do Pantanal.

http://www.globoamazonia.com/Amazonia/0,,MUL1613965-16052,00-AO+MONITOR…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.