VOLTAR

Amazônia Brasileira fala da questão dos povos indígenas de Rondônia

Rádio Nacional da Amazônia/EBC - http://www.radios.ebc.com.br
24 de fev de 2015

Os povos indígenas de Rondônia foram muito atingidos pela filosofia desenvolvimentista implantada no estado desde o tempo em que era ainda território. Muitas etnias foram extintas, e as que ainda resistem vivem diversos problemas com forte pressão do agronegócio, tanto da plantação de soja quanto da criação de gado, garimpos, hidrelétricas, dentre outras atividades incompatíveis com o modo de vida tradicional dessas populações. Poucos conseguiram o reconhecimento e a demarcação de suas terras pelas quais vêm lutando há décadas.

Um novo elemento tem trazido tensão às populações indígenas locais: a chegada do REDD, conhecido como Crédito de Carbono. Esse mecanismo que prevê a compensação pela preservação ambiental, mas também impõe modificações no modo tradicional de vida dos índios e as propostas têm dividido etnias, inclusive separando famílias.

A delegação tem reuniões já marcadas na Funai e na Procuradoria Geral da República, onde discutirão ainda a ameaça que representa para as populações indígenas a PEC 215, que a qualquer momento voltará à pauta do Congresso. A proposta de emenda à Constituição coloca em risco o método usado para o reconhecimento e a demarcação de terras indígenas, que deixaria de ser plenamente técnico e passaria a ficar sob forte influência política. Além disso a PEC também prevê a possibilidade de diminuição de área de TIs já demarcadas, e outras práticas que colocam em risco sua própria razão de ser, que é manter seu modo de vida tradicional.

O programa Amazônia Brasileira vai ao ar a partir das 08h na Rádio Nacional da Amazônia, em rede com a Rádio Nacional do Alto Solimões, onde é transmitido ao vivo às 05h. A produção e a apresentação são de Beth Begonha.

http://radios.ebc.com.br/amazonia-brasileira/edicao/2015-02/amazonia-br…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.