VOLTAR

Acre, onde o Brasil tem gosto amargo

O Estado de S.Paulo (São Paulo - SP)
05 de mar de 1989

A vida de muitos no Acre vem carregada de um gosto amargo, como o nome já propõe. Dividido em dois amargores, em Xapuri, onde recentemente morreu o sindicalista e ecologista Chico Mendes, briga-se pela terra e contra a derrubada da floresta. No segundo, em Cruzeiro do Sul, briga-se pelo fim de um regime de semi-escravidão que vigora há mais de cem anos.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.