VOLTAR

Rússia nega ter deixado pacto do efeito estufa

FSP, Ciência, p. A19
04 de dez de 2003

Rússia nega ter deixado pacto do efeito estufa

DA REDAÇÃO

Desautorizando as declarações dadas por um assessor do presidente no dia anterior, representantes do governo russo reavivaram a esperança de que o país vá aderir ao Protocolo de Kyoto, acordo internacional destinado a combater o aquecimento global.
"Não há decisões a respeito da ratificação, além do fato de que estamos caminhando na direção da ratificação", disse ontem Mukhamed Tsikhanov, vice-ministro da economia, em entrevista coletiva motivada pelas declarações dadas anteontem por Andrei Illarionov, assessor econômico do presidente russo, Vladimir Putin. Na terça-feira, ele havia dito que a Rússia não ratificaria o protocolo.
"Não posso comentar sobre [as afirmações de] Illarionov, mas não temos informação alguma no governo sobre o fato de que uma decisão teria sido tomada", disse Tsikhanov. "É o governo que toma a decisão e aí a envia para a Duma [o Parlamento russo]."
O protocolo não pode virar lei sem as ratificações dos responsáveis por um mínimo de 55% das emissões dos países industrializados. Com o abandono dos EUA, em 2001, a Rússia passou a ser decisiva. Sem ela, a meta não pode ser atingida. O pacto determina que os países industrializados reduzam em 5,2% as emissões de carbono (principal componente dos gases-estufa) até 2012, em relação aos níveis de 1990.

FSP, 04/12/2003, Ciência, p. A19

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.