VOLTAR

Maia diz que pode barrar avanço de PEC que permite arrendamento de terra indígena

FSP - https://www1.folha.uol.com.br/ambiente
26 de ago de 2019

Maia diz que pode barrar avanço de PEC que permite arrendamento de terra indígena
Presidente da Câmara afirmou que caso proposta seja aprovada, vai avaliar texto antes de instalar comissão

Angela Boldrini
BRASÍLIA

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira (26) que pode não instalar comissão especial para analisar a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que permite o arrendamento de até metade das terras indígenas para a agropecuária.

O texto é criticado por indigenistas e ambientalistas, gerou protestos no Congresso na quarta-feira (21) e está na pauta da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) para ser deliberado nesta semana.

Segundo Maia, porém, caso a proposta seja aprovada na comissão, ele diz que avaliará o teor do texto. "Se for algo que sinalize com alguma polêmica, com algum encaminhamento que gere mais narrativas negativas para o Brasil é claro que ela vai ficar aprovada apenas na CCJ", afirmou.

A proposição, que engloba um texto apresentado em 2016 e outro em 2018, é relatada na comissão por Pedro Lupion (DEM-PR), membro da bancada ruralista.

Depois de evento no STJ (Superior Tribunal de Justiça), o presidente afirmou que irá se reunir em embaixadas para discutir a situação das queimadas na Amazônia.

Ele também afirmou que o presidente da França, Emmanuel Macron, ficou isolado em suas críticas ao governo brasileiro.

"Não vi nenhuma ação do governo brasileiro estimulando as queimadas, mas a forma como presidente fala às vezes pode gerar esse tipo de dúvida", disse Maia.

https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2019/08/maia-diz-que-pode-barrar…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.