VOLTAR

Índios saem da Cúpula dos Povos e invadem prédio do BNDES no Rio

Folha.com - http://www1.folha.uol.com.br/
Autor: Diana Brito
18 de jun de 2012

Aproximadamente 2.000 índios de várias etnias invadiram por volta das 12h40 a sede do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) nesta segunda-feira.

Funcionários do órgão fecharam as portas do prédio e barraram os manifestantes. Vestidos com trajes típicos e com alguns deles portando arcos e flechas, os índios disseram que vão acampar no local até serem ouvidos.

Em torno das 13h30, foi autorizada a entrada no edifício de um grupo formado por 12 representantes indígenas.

A invasão é um protesto contra empreendimentos do BNDES que são financiados em terras indígenas e que impactam diretamente a vida dos povos.

"Se os europeus continuarem vindo ao Brasil, colocando garimpeiros para massacrar nosso povo, a gente não vai permitir. A gente não quer, somos tratados como animais. Nosso povo quer uma política voltada para os índios", disse o cacique Darã, da tribo tupi-guarani, de município de Itaporanga, em São Paulo.

Da etnia puroborá, de Rondânia, Hozana Castro de Oliveira explica que a reivindicação é dirigida às terras indígenas. "O governo diz que não tem dinheiro para demarcar as terras e nem para a nossa educação, mas tem dinheiro para dar para empresas construírem hidrelétricas e outras fábricas em nossas terras."

As tribos também pediram ações contra o desmatamento, a usina de Belo Monte e a demarcação de terras indígenas, além de melhorias nas condições de educação e de saúde do índio. Eles pediram ainda a promoção da alimentação sustentável. Ou seja, sem o uso de agrotóxicos.

http://www1.folha.uol.com.br/ambiente/1106388-indios-saem-da-cupula-dos…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.