VOLTAR

Banco Mundial doa R$ 19 mi para repor vegetação

FSP, Cotidiano, p. C3
14 de jun de 2005

Banco Mundial doa R$ 19 mi para repor vegetação

VICTOR RAMOS
DA REPORTAGEM LOCAL

O Estado de São Paulo receberá U$ 7,75 milhões (cerca de R$ 19 milhões) do Bird (Banco Mundial) para o desenvolvimento de projetos de recuperação da mata ciliar -que se desenvolve ao longo dos cursos de água. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) vai assinar o contrato -com o compromisso de doação por parte do banco- no próximo dia 27, nos Estados Unidos.
De acordo com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, há no solo paulista cerca de 1 milhão de hectares de área ciliar sem vegetação. Entre as conseqüências do problema estão a erosão do solo, o assoreamento de mananciais e a diminuição da biodiversidade.

A verba servirá para desenvolver projetos para o setor, mas não será suficiente para recuperar parte significativa dessa área. Está previsto que apenas 1.500 hectares sejam reflorestados na primeira etapa, com duração estimada de quatro anos. No entanto, de acordo com a coordenadora do projeto, Helena Carrascosa, por ora "o plantio é meio, não fim".
Segundo ela, o objetivo é que, ao final de quatro anos, tenha sido desenvolvido "um programa de recuperação em larga escala" capaz de reflorestar o milhão de hectares hoje desmatados.
"Em uma conta simplista, "esticando" isso (a área desmatada) ao longo de cursos de água, seriam 129 mil quilômetros desprotegidos", afirmou Carrascosa.
Segundo ela, hoje em dia existem "gargalos" que dificultam o reflorestamento, como a resistência de proprietários rurais em aderir aos programas de recuperação e o alto custo do processo. "[Os proprietários rurais] acham que não é justo arcar com o ônus de uma coisa que gera benefícios para toda a sociedade."

Incentivos
Por isso, o governo estuda maneiras de recompensar proprietários que tenham, em suas áreas, gestões ambientais sustentáveis.
Parte do dinheiro será aplicada em 15 projetos -distribuídos por cinco bacias hidrográficas-, que deverão servir de modelo para futuros programas.
De acordo com a coordenadora, nos 15 pontos estará representada toda a diversidade do Estado: solos, relevos, vegetação, clima e atividade econômica. Esses locais deverão ser definidos até o final do mês através de critérios ambientais e sociais.
Carrascosa afirmou que também serão feitos estudos econômicos e desenvolvidas novas metodologias de recuperação do solo. A recuperação da mata ciliar é um dos 47 projetos estratégicos definidos pelo governo Alckmin, que termina no final de 2006.

FSP, 14/06/2005, Cotidiano, p. C3

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.