VOLTAR

Rotavírus pode ser causa de morte de 8 crianças indígenas

FSP, Poder, p. A8
19 de jan de 2012

Rotavírus pode ser causa de morte de 8 crianças indígenas
Moradoras de aldeias no Acre, as vítimas apresentavam sintomas como diarreia, febre alta e vômito

KÁTIA BRASIL
DE MANAUS
FREUD ANTUNES
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, DE RIO BRANCO

Pelo menos oito crianças indígenas que moravam em aldeias próximas à cidade de Santa Rosa do Purus (AC) morreram depois de apresentar sintomas como febre alta, vômito e diarreia nas últimas semanas. O Ministério da Saúde investiga suspeita de rotavírus.
A Secretaria Especial de Saúde Indígena, do Ministério da Saúde, informou que, desde o dia 15 de dezembro, acompanha a situação em sete aldeias. As oito mortes foram registradas como DDA (Doença Diarreia Aguda).
O governo do Acre chegou a informar que eram 12 as mortes, o que não foi confirmado pelo órgão federal.
As crianças mortas são das etnias caxinauá e culina. Os casos foram registrados na região do Alto Rio Purus, de difícil acesso e divisa com o Estado do Amazonas. Equipes de saúde do governo do Acre foram encaminhadas à região para realização de atendimento de urgência e teste para identificar a doença.
Os casos de morte entre as crianças começaram em dezembro. Algumas das vítimas chegaram a ser transferidas para os hospitais dos municípios acrianos de Sena Madureira e Manoel Urbano, mas não resistiram.
O rotavírus é um vírus presente na água contaminada e os sintomas são diarreia grave, febre e vômito.
A doença causa gastroenterite, desidratação e morte em crianças menores de cinco anos. Em adultos, a doença é mais rara.
O infectologista Antônio Magela Tavares, que já atuou em comunidades indígenas na divisa com o Acre, disse que se as mortes foram confirmadas como causa de rotavírus, será preciso tomar medidas urgentes.

FSP, 19/01/2012, Poder, p. A8

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/20829-rotavirus-pode-ser-causa-d…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.