VOLTAR

Futuro ambiental projetado para país esbarra em ideias de Jair Bolsonaro

FSP, Ambiente, p. B4
03 de dez de 2018

Futuro ambiental projetado para país esbarra em ideias de Jair Bolsonaro
Grupos agropecuários e ambientalistas apontam ações ideais para próximas décadas no Brasil

Phillippe Watanabe
SÃO PAULO

Desmatamento zero, código florestal com implementação avançada e agropecuária de baixo carbono, ou seja, que não agrava o aquecimento global. Esse cenário faz parte da visão de um grupo de organizações agropecuárias e ambientalistas para as próximas décadas no Brasil.

Em contraste a esse mundo idealizado, a desistência do país de sediar em 2019 a COP-25, conferência da ONU para discussão climática, decisão que teve participação do presidente eleito Jair Bolsonaro, causa preocupação em grupos como a Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura, que congrega mais de 180 entidades acadêmicas, ambientalistas e do agronegócio.

Nesta segunda-feira (3), junto ao início da primeira semana de trabalhos na COP-24, em Katowice, na Polônia, a Coalizão lança um documento ("Visão 2030-2050 - O Futuro das Florestas e da Agricultura no Brasil") que visa fomentar o debate sobre o uso da terra no Brasil.

"No século 21, produção agropecuária e conservação ambiental devem andar juntas, lado a lado", diz o documento, segundo o qual, a atividade agropecuária, mesmo sendo a maior emissora brasileira de gases-estufa, pode contribuir para redução das emissões nacionais e até mesmo para a captura de carbono.

Isso poderia ser feito com manejo de áreas degradadas ou subutilizadas, em vez do avanço de pastagens sobre áreas de floresta.

Após a assinatura do protocolo de Kyoto, o primeiro pacto global para redução de emissões de carbono, em cerca de 15 anos, a Europa movimentou mais de R$ 1,5 trilhão nesse mercado.

"Eles criaram um esquema de trocas de crédito e comercialização de carbono que permitiu alavancar investimentos para modernizar sistemas produtivos que tinham altas taxas de emissão", diz André Guimarães, diretor do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia e integrante da Coalizão. Para ele, nos próximos anos deve haver atenção especial a esse mercado.

Além do documento com o cenário ideal futuro para o Brasil, a Coalizão Brasil formulou 28 propostas concretas a serem desenvolvidas nas áreas da agricultura e ambiente que foram entregues a todos os presidenciáveis.

E a sinalização do futuro governo Bolsonaro, como as ameaças de deixar o Acordo de Paris, já preocupa o setor agropecuário.

"O Brasil um esforço na questão do clima, temos compromissos que fizemos em Paris. Se virarmos as costas para isso, mandamos um sinal muito ruim para o exterior e também internamente", diz Luiz Cornacchioni, da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), também integrante da Coalizão Brasil. "Não deveríamos trazer essa conta para nós. Vai ficar cara."

Cornacchioni cita a fala recente de Emmanuel Macron, presidente da França. "Não sou a favor de que se assinem acordos comerciais com potências que não respeitem o Acordo de Paris", afirmou Macron, nesta quinta (29), na Argentina para o encontro da cúpula do G20.

"Para quem sabe ler, ele passou o recibo", diz Cornacchioni, citando a já complicada e longa negociação do Mercosul com o bloco europeu.

O diretor da Abag afirma que a sustentabilidade é uma demanda do mercado mundial e que o agronegócio brasileiro não avançará sem esse componente. "Se você sacar essa variável, a equação não fecha."

Guimarães afirma que, nos próximos meses, espera haver um maior diálogo entre as organizações e o governo eleito.

É praxe que as COPs sejam realizadas em diferentes regiões do mundo e cabe a um país da América Latina e Caribe a sede da edição de 2019. O Brasil anunciou sua candidatura há um ano, na COP-23. O anúncio da próxima sede deve acontecer no fim do evento em Katowice.

ESPERANÇA PARA A AGROPECUÁRIA E FLORESTAS PARA 2050

1 Carbono
Sistemas produtivos de baixo carbono serão adotados em larga escala

2 Código florestal
Estará implementado em todo o país

3 Desmate
Não haverá desmatamento em nenhum bioma

4 Fonte: Relatório "Visão 2030-2050 - O Futuro das Florestas e da Agricultura no Brasil"

FSP, 03/12/2018, Ambiente, p. B4

https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2018/12/futuro-ambiental-projeta…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.