VOLTAR

Fantasiados, homens protestam contra casas sobre mananciais

FSP, Cotidiano, p. C1
09 de dez de 2014

Fantasiados, homens protestam contra casas sobre mananciais
Manifestantes pedem criação de Parque dos Búfalos na zona sul

FABRÍCIO LOBEL DE SÃO PAULO

Fantasiados de búfalos, dois homens fizeram um protesto na tarde desta segunda-feira (8) contra a construção de moradia popular em uma área de manancial na zona sul de São Paulo.
A manifestação ocorreu durante a agenda oficial do prefeito Fernando Haddad (PT), que inaugurou um monumento em homenagem aos mortos e desaparecidos da ditadura, no parque Ibirapuera.
Os manifestantes dizem que a construção de prédios para o programa Minha Casa, Minha Vida no bairro de Pedreira atingirá áreas de nascentes da represa Billings.
Eles pedem a criação do Parque dos Búfalos no local para proteger o manancial.
Os manifestantes chegaram a interromper a fala do secretário de direitos humanos da cidade, Rogério Sottili, da secretária nacional dos Direitos Humanos, Ideli Salvatti, e do próprio prefeito.
"Nós não somos contra a habitação. Mas lá existem seis terrenos que devem 20 anos de impostos [e poderiam servir de alternativa ao projeto]. E o senhor não vai construir em cima de oito nascentes", disse a Haddad o ativista Aurélio Rodrigues.
Em resposta aos manifestantes, o prefeito afirmou que o projeto já passou por liberações da Secretaria do Verde e da Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental), ligada à Secretaria do Meio Ambiente do governo estadual.
A prefeitura agendou para a próxima segunda-feira (15) uma audiência pública para "explicar o projeto habitacional" à comunidade.
De acordo com a gestão Haddad, o projeto do Minha Casa, Minha Vida deverá beneficiar 14 mil pessoas e também contará com a criação de um parque municipal de 550 mil metros quadrados.
O empreendimento tem recursos federais, estaduais e também municipais.

FSP, 09/12/2012, Cotidiano, p. C1

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/199311-fantasiados-homens-pr…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.